“Nasci pra ser Dercy” Com Grace Gianoukas

Escrito e dirigido por Kiko Rieser, vencedor do Prêmio Bibi Ferreira 2023 na categoria Melhor Dramaturgia Original por este texto, espetáculo chega a Salvador para 3 únicas apresentações Indicada aos prêmios APCA e Bibi Ferreira de melhor atriz pelo papel. Monólogo ainda foi indicado ao Prêmio CENIM

Com voz off de Miguel Falabella, monologo presta homenagem a Dercy Gonçalves, artista que rompia padrões e inaugurou uma representação genuinamente brasileira em nossos palcos. De 10 a 12 de novembro, no Teatro Sesc Casa do Comércio.

O premiado monólogo “Nasci pra ser Dercy”, estrelado por Grace Gianoukas e escrito e dirigido por Kiko Rieser, presta uma homenagem a Dercy Gonçalves, uma das maiores atrizes do século XX. Desde a estreia, no dia 13 de janeiro, em São Paulo, o espetáculo é enorme sucesso de público e crítica, com temporada prorrogada na cidade. A turnê nacional começou em maio e o sucesso continua por toda a cidade em que passa.

Grace Gianoukas foi indicada aos prêmios APCA e Bibi Ferreira de melhor atriz pelo papel e Kiko Rieser acaba de vencer o Prêmio Bibi Ferreira 2023 na categoria Melhor Dramaturgia Original por “Nasci pra ser Dercy”. O espetáculo ainda foi indicado ao Prêmio CENIM de melhor monólogo.

Dercy Gonçalves (23/06/1907–18/07/2008) faleceu há 15 anos, aos 101 anos, sem que jamais tenha havido nos palcos brasileiros uma peça que a homenageasse. Até agora!

O texto busca unir o apelo popular e o carisma de Dercy através de uma profunda pesquisa, a peça mostra a importância, muitas vezes ignorada, da atriz para o teatro brasileiro e para a liberdade feminina, bem como sua inquestionável singularidade.

Desbocada e defensora da mais profunda liberdade, era muito recatada em sua vida íntima, chegando a se casar e enviuvar anos depois ainda virgem. Contestava frontalmente a censura da ditadura militar, mas se recusava terminantemente a levantar bandeiras políticas específicas que não fossem a da irrestrita liberdade e do respeito a todas as formas de existir.

A atriz se consagrou como vedete do Teatro de Revista, mas sua maior contribuição ao nosso teatro se deu ao levar essa expertise para a comédia popular, que ela revolucionou inteiramente, trazendo textos fundamentais para o Brasil e instaurando uma nova forma de interpretar, que rompia com todos os padrões e inaugurava em nossos palcos uma representação genuinamente brasileira. Amada por quase todo o país, Dercy Gonçalves é uma figura largamente reconhecida, mas pouco conhecida de fato.

“Dercy Gonçalves é retratada quase sempre como apenas uma velha louca que falava palavrão”, fala Kiko Rieser, que no texto procura revelar ao público a mulher grandiosa e complexa que ela foi. “Uma atriz vinda do teatro de revista que recriou a comédia brasileira. Uma mulher que era chamada de puta, mas que casou e enviuvou virgem, iconoclasta e devota, libertária mas avessa a qualquer bandeira, inclassificável e singular”, completa o autor.

Sinopse

A peça começa com uma atriz, Vera, entrando no estúdio para fazer teste para o papel de Dercy Gonçalves em um filme. Conforme vai dando suas falas, ela se revolta contra o roteiro, cheio de estereótipos. Sua mãe era grande fã de Dercy e por isso Vera cresceu conhecendo e sendo influenciada pelo exemplo dessa artista icônica. Ela então, transformando-se em Dercy, começa a mostrar quem realmente foi essa mulher à frente de seu tempo.

Serviço

Nasci pra ser Dercy”

Texto e direção: Kiko Rieser

Elenco: Grace Gianoukas

Voz off: Miguel Falabella

Direção de produção: Paulo Marcel

Temporada: de 10 a 12 de novembro

Sexta e Sábado às 20h | Domingo às 19h

Indicação 14 anos

Duração: 80 min

Ingressos: de R$ 50 a R$ 120.

Confira legislação vigente para meia-entrada.

Ingressos online: https://site.bileto.sympla.com.br/teatrosesccasadocomercio/

Horário Bilheteria

De terça a domingo, das 13h às 19h (ou até o início do espetáculo)

Local:Teatro Sesc Casa do Comércio

Av. Tancredo Neves,1109, Salvador – Bahia

FICHA TÉCNICA

Texto e direção: Kiko Rieser

Atriz: Grace Gianoukas

Voz off: Miguel Falabella

Diretor de Produção: Paulo Marcel

Cenário e figurino: Kleber Montanheiro

Desenho de luz: Aline Santini

Trilha sonora original e arranjos: Mau Machado

Canção “Malandrinha”: Freire Júnior

Canção-tema “Só sei ser Dercy”: Danilo Dunas e Pedro Buarque

Visagismo: Eliseu Cabral

Assistência de direção: André Kirmayr

Preparação corporal: Bruna Longo

Preparação vocal: André Checchia

Colaboração no processo: Fernanda Lorenzoni

Assistência de figurino: Marcos Valadão

Cenotécnica: Evas Carreteiro

Design gráfico: Letícia Andrade (Nós Comunicações)

Assessoria de imprensa: Flavia Fusco Comunicação

Mídias sociais: Pierre Nunes

Fotos: Heloísa Bortz

Assessoria jurídica: Ana Capozzi

Produção Local: Carambola Produções

Produção Nacional: Ventilador de Talentos

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário