Aclamado pelo público e pela crítica, espetáculo volta a São Paulo, no dia 12 de janeiro, para uma curta temporada no Teatro Bravos ‘O Profeta’

Releitura filosófica da obra de Gibran Khalil Gibran traz a força de suas parábolas permeadas por trilha ao vivo, baseada em pesquisas sobre a música árabe clássica e folclórica

“O livro, realmente, é um primor. Uma obra-prima, assim como a peça baseada nele… numa atmosfera de enlevo e encantamento a peça é um convite para sermos dignos da vida e a viver ao nível do que há de mais elevado em nós”.

Gilberto Bartholo

Link para a crítica completa

- Publicidade -

https://oteatromerepresenta.blogspot.com/2023/10/o-profeta-ou-o-que-o-mundo-precisa.html

O Profeta é um dos livros mais lidos do mundo. A obra de Gibran Khalil Gibran trata de temas como o amor, filhos, trabalho, alegria, tristeza e morte entre outros. Publicado em 1923, no ano de seu centenário ganhou uma releitura filosófica assinada por Lúcia Helena Galvão. Inédito nos palcos do país, a montagem é sucesso desde a sua estreia em Fortaleza, em 2022. O espetáculo foi apresentado no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Belém e retorna a São Paulo para uma curtíssima temporada no Teatro Bravos. Serão 9 apresentações, de 12 de janeiro a 4 de fevereiro.

A montagem repete a parceria entre Galvão e o encenador Luiz Antônio Rocha, (indicado ao prêmio Shell 2019 por Paulo Freire, O Andarilho da Utopia), iniciada com a bem sucedida Helena Blavatsky, a voz do silêncio. “Foi na busca para melhorar o mundo e o ser humano, por meio do teatro e da filosofia, que surgiu este novo projeto, onde o amor é o fio condutor da história e nos faz redescobrir o papel do coração” fala o diretor sobre o espetáculo.

No papel título, o músico e cantor libanês Sami Bordokan. “Fiquei receoso quando fui convidado para o monólogo já que O Profeta é meu livro de cabeceira desde garoto e sabia da entrega para o papel, mas aceitei o desafio” fala Sami, que viveu a sua juventude em um vilarejo no norte do Líbano.  Pesquisador de música árabe clássica e folclórica, seu estilo de tocar o alaúde e de cantar, incluindo o místico canto oriental, é único. Em cena ele está acompanhado de William Bordokan que apresenta uma variedade de sons e ritmos, utilizando outros instrumentos ancestrais como a flauta nay, a rabab e a derbak. Os irmãos ainda assinam a direção musical.

Em doze ensaios poéticos, baseados na obra de Gibran, a história desafia o vazio e descortina a beleza da vida em temas profundos abordados com a ternura e a sabedoria que vem do Oriente. Numa atmosfera de enlevo e encantamento a peça é um convite para sermos dignos da vida e a viver ao nível do que há de mais elevado em nós.

- Publicidade -

“Um espetáculo para ver, rever e se tornar consciente de que tudo opera na força motriz da natureza.”

Leonardo Marins – Crítico de teatro

Sinopse

O profeta All Mustafa está prestes a embarcar em um navio para retornar a sua terra natal após um ciclo de doze anos de exílio na cidade de Orfhalese. No dia da partida, antes da chegada iminente de seu navio, os habitantes da pequena cidade pedem a ele que lhes fale sobre as questões fundamentais da condição humana. E assim, o profeta responde com reflexões que, na sua aparente simplicidade, revelam uma compreensão profunda da vida e do processo de existir.

“Ali, na plateia, nós somos esses habitantes, esperando a sabedoria do andarilho. Sedentos por conhecimento que nos eleve. Tanto o texto original de Khalil Gibran, quanto a releitura de Lúcia Helena Galvão trazem essa capacidade de serem guias para uma evolução. E, afinal, não é para isso que estamos aqui? ”

Alvaro Talarico – Crítico de teatro

Serviço:
“O Profeta”

- Publicidade -

Texto: Lúcia Helena Galvão

Interpretação: Sami Bordokan

Encenação: Luiz Antônio Rocha

Participação especial: William Bordokan


Estreia: dia 12 de janeiro, sexta-feira, às 20h

Temporada: de 12 de janeiro a 4 de fevereiro, sábados às 20h e domingos, às 17h.

Ingressos: R$ de 70 a R$ 160

Duração: 80 minutos

Recomendação: Livre

ingressos online: https://bileto.sympla.com.br/event/88448?utm_source=site-symplabileto-production&utm_medium=webapp_share&utm_campaign=webapp_share_event_88448

Bilheteria:
De terça à domingo das 13h às 19h ou até o início do último espetáculo.
Formas de Pagamentos aceitas na bilheteria: Aceitamos todos os cartões de crédito, débito e dinheiro. Não aceitamos cheques.


Local: TEATRO BRAVOS 

Rua Coropé, 88 – Pinheiros

Complexo Aché Cultural, entre as Avenidas Faria Lima e Pedroso de Morais.

Abertura da casa: 1 horas antes de cada horário de espetáculo

Café no 3º andar

Capacidade da casa: 611 lugares 

Acessibilidade para deficiente físico e obesos

Estacionamento: MultiPark – R$ 39,00 (até 3 horas)

Respeitando a acessibilidade, o Teatro Bravos ainda conta com elevadores e escadas rolantes de acesso à sala de espetáculos em todos os andares, além de seis posições para cadeirantes e seis poltronas para obesos.

Ficha técnica

Texto: Lúcia Helena Galvão

Interpretação: Sami Bordokan

Encenação: Luiz Antônio Rocha

Participação especial: William Bordokan

Cenário e Figurinos: Eduardo Albini

Projeto de Luz: Ricardo Fujii

Direção musical: Sami Bordokan e William Bordokan

Assistente de direção: Hanna Perez

Vídeo mapping: Júlio Mauro / Cine Mauro

Direção de arte: Eduardo Albini

Preparação corporal e direção de movimento: Hanna Perez

Caracterização: Mona Magalhães

Adereços e efeitos: Nilton Araújo

Artista têxtil: Priscila Pires

Costureira: Marcela G. F. Artusi

Parceria: Nova Acrópole Brasil 

Produção Executiva: Luiz Antônio Rocha

Produção: Espaço Cênico Produções Artísticas

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *