ACNUR apoia pessoas impactadas por enchentes no Rio Grande do Sul

Em resposta às devastadoras enchentes no Estado do Rio Grande do Sul, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e organizações parceiras estão colaborando com autoridades públicas e da sociedade civil para minimizar os efeitos desta catástrofe, apoiando pessoas brasileiras, refugiadas e migrantes que estão deslocadas.

Com base nos dados do Governo Federal (CAD-Único/SUAS), o ACNUR estima que mais de 35 mil pessoas refugiadas e migrantes que vivem no Rio Grande do Sul podem ter sido afetadas direta ou indiretamente pelas inundações. Estas pessoas informam que perderam casas, pertences e documentos, com negócios e outras atividades de geração de renda destruídos pelas águas. O Rio Grande do Sul é um dos estados brasileiros com maior presença de pessoas refugiadas e migrantes, especialmente venezuelanos e haitianos, muitos vivendo em áreas de risco.

- Publicidade -

Devido à dificuldade de acesso aos locais mais afetados e buscando maior eficiência na sua resposta, o ACNUR está apoiando o Governo Estadual do Rio Grande do Sul e o Comitê Estadual de Migrantes e Refugiados na avaliação do impacto das inundações e na identificação das necessidades destas populações.

O ACNUR também está apoiando a comunicação com as diversas comunidades impactadas para que as pessoas refugiadas e migrantes tenham acesso, em seu idioma, às informações fornecidas pela Defesa Civil e autoridades locais sobre as recomendações de proteção e os riscos associados aos locais onde vivem.

Ao mesmo tempo, em São Leopoldo/RS, a UNISINOS (universidade parceira da Cátedra Sérgio Vieira de Mello do ACNUR) converteu parte de suas instalações em um abrigo temporário de emergência, fornecendo apoio atualmente a cerca de 1.300 pessoas brasileiras, refugiadas e migrantes diretamente afetadas pelas enchentes.

O ACNUR estima uma necessidade de mais de R$ 16 milhões para responder às necessidades emergenciais, especialmente distribuição de assistência financeira direta às pessoas impactadas e itens de primeira necessidade.  Quem deseja apoiar a resposta do ACNUR na emergência das inundações no Rio Grande do Sul pode doar por meio do link  https://doar.acnur.org/page/ACNURBR/doe/enchentes-no-sul-do-brasil.

“O ACNUR fortaleceu os esforços de coordenação com parceiros locais, especialmente com contrapartes governamentais diretamente responsáveis pela resposta de socorro a desastres no Rio Grande do Sul. Estamos apoiando com o que está ao alcance neste momento e para que não haja sobreposição dos esforços, contribuindo assim para maior eficiência da resposta voltada para as comunidades brasileiras, refugiadas e migrantes no Estado”, afirma Maria Eliana Barona, Representante Adjunta do ACNUR no Brasil.

- Publicidade -

O ACNUR lamenta profundamente a perda de vidas decorrentes desta tragédia e os efeitos sobre a população brasileira, refugiada e migrante. Ao mesmo tempo, reconhece a importante atuação de dois parceiros fundamentais no estado – Aldeias Infantis SOS e Serviço Jesuíta para Migrantes e Refugiados – cujas equipes e estruturas também foram severamente impactados pela catástrofe e seguem atuando para prover ajuda imediata e assistência às populações residentes.

A realidade das mudanças climáticas, evidenciada por eventos extremos como as torrenciais chuvas no Rio Grande do Sul, tem causado perda de vidas e estragos materiais irreparáveis para as populações que passam a viver com insegurança e incertezas.

Previamente ao cenário atual no Rio Grande do Sul, o ACNUR já atuou recentemente em outras emergências climáticas no Brasil, como nos casos do Acre,  Bahia e Manaus.

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *