Giba Pedroza é um dos convidados da 12a FliAraxá, o contador de histórias, autor e pesquisador de literatura infantil está neste domingo no Sarau dos Escritores, das 11h ao meio-dia, no Auditório 2.

Autor: Giba Pedroza

Ilustradora: Fernanda Rodrigues

ISBN: 9786553843011

Páginas: 32

Formato: brochura | 24 cm x 26 cm

Selo: Ciranda na Escola

Faixa etária: + 6 anos

Gênero: literatura infantil

Lançamento: Novembro/2023

Preço de capa: R$ 39,90

 

Giba Pedroza é contador de histórias e pesquisador de literatura infantil e tradição oral desde 1987 e realiza apresentações e oficinas para adultos, educadores e crianças, além de intervenções e projetos sociais para empresas e Ongs tendo sempre o ato de contar histórias com música seu principal  instrumento fortalecer valores humanos e sociais.

A mais recente publicação pela Ciranda Cultural, ainda em fase de lançamento, “Tia Cotinha” é um livro que prioriza o resgate da memória como expressão dos afetos que integram a relação das crianças com os mais velhos. A história rememora uma personagem criada pelo autor, que representa aquelas pessoas queri­das que marcaram presença em nossas infâncias, pessoas que nos fizeram viver situações que ficaram para sempre na memória do coração, conta Giba.

A narrativa é um encontro de gerações; o pai conta para a filha sobre a sua singular tia, sobre as vivências que teve em sua caminhonetinha.

A filha revive à sua maneira as memórias do pai. Juntos, eles resgatam sentimentos bons vividos no passado e dão continuidade ao sonho de quem não conseguiu realizá-lo.

 

O Festival Literário de Araxá – Fliaraxá – foi criado em 2012 pelo empreendedor cultural Afonso Borges, diretor-presidente da Associação Cultural Sempre um Papo. Realizada no pátio da Fundação Calmon Barreto, a primeira edição teve como tema “Juventude, Literatura e Experiência”, com a presença de 25 autores, reunindo 6 mil pessoas na plateia. A décima primeira – e mais recente – edição do evento foi realizada entre os dias 5 e 9 de julho de 2023 e reuniu cerca de 200 escritores e representantes da literatura brasileira, no Estádio Municipal Fausto Alvim, no centro da cidade. A edição recebeu um público de 25 mil pessoas, que pôde conferir 291 atrações, dentre elas literárias, musicais e performáticas. Foram promovidos debates, palestras, sessões de autógrafos e atividades voltadas para todas as idades – todos eles no formato figital, somando 162 transmissões feitas pelo canal do Fliaraxá no YouTube.

Desde sua primeira edição, o Festival contou com a presença de mais de 780 autores (dentre eles regionais, nacionais e internacionais) e público que ultrapassou 330 mil pessoas presentes. Levando em consideração que, em 2020 e 2021, em razão da pandemia de covid 19, o Fliaraxá foi realizado em formato híbrido, de modo que contou com atividades presenciais e online. Nesses anos, o YouTube foi o grande destaque do Festival, uma vez que foi o meio principal de veiculação das palestras do evento. Em 2020, a programação permaneceu 24 horas no ar, totalizando 101 horas de transmissão contínua, 22.556 de usuários alcançados e um total de 58.178 visualizações do conteúdo disponível.

Em 2023, o Fliaraxá recebeu cerca de 200 escritores e um público de mais de 25 mil pessoas em sua 11ª edição. Ao longo de cinco dias, o evento promoveu 291 atrações – tanto presenciais quanto virtuais. O principal evento literário de Araxá se prepara para ser realizado entre os dias 19 e 23 de junho de 2024, chegando à sua 12ª edição, sendo esta a mais diversa, inclusiva e abrangente de todas. O 12º Fliaraxá será realizado na Fundação Cultural Calmon Barreto e terá transmissão online pelas redes sociais do Festival: @‌fliaraxa

SERVIÇO

12.º Festival Literário Internacional de Araxá – Fliaraxá
De 19 a 23 de junho de 2024, de quarta-feira a domingo
Local: Programação presencial na Fundação Cultural Calmon Barreto (Praça Artur Bernardes, 10 – Centro) e programação digital no YouTube, Instagram e Facebook – @‌fliaraxa
Entrada gratuita

Compartilhe este artigo
Segue:
Adriana Monteiro é coordenadora de conteúdo e estratégia da empresa Ofício das Letras, desde sua fundação, em 1995. É formada em História pela PUC- São Paulo (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), em 1992, e também cursou a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas na USP (Universidade de São Paulo).