Panamá: compromisso com a sustentabilidade e experiências oceânicas autênticas

Confira iniciativas sustentáveis do Panamá, que se destacam na proteção de ecossistemas marinhos e oferece experiências turísticas conscientes

Em sua extensa costa ao longo do Oceano Pacífico e do Mar do Caribe, o Panamá abriga uma vida marinha diversificada, recifes de corais vibrantes e praias imaculadas, se tornando um destino cada vez mais popular entre os turistas — principalmente como referência no chamado turismo sustentável, que se propõe a atender simultaneamente às necessidades dos turistas e das comunidades que os recebem. Afinal, por contar com tamanha biodiversidade e natureza, o Panamá implementa diversas iniciativas inovadoras para proteger seus recursos marinhos e oferecer aos visitantes aventuras inesquecíveis em harmonia com a natureza.

O compromisso do país com a responsabilidade ambiental é de extrema importância, afinal, segundo o “Breaking the Plastic Wave” — um dos mais abrangentes estudos já produzidos sobre plásticos nos oceanos —, se não agirmos, até 2040 o volume anual de plásticos que entra no oceano quase triplicará, passando de 11 milhões de toneladas em 2016 para 29 milhões de toneladas. O estudo é resultado da parceria da Fundação Ellen MacArthur com a Universidade de Oxford, a Universidade de Leeds e o Common Seas.

As projeções ainda sugerem que poderá haver mais plásticos do que peixes no oceano até 2050. Esse cenário negativo é impulsionado por quatro tendências principais: rápido crescimento populacional; aumento do uso de plástico per capita; transição para materiais de baixo valor e difíceis de reciclar; e crescimento desproporcional em mercados com baixas taxas de coleta.

Atento a esse cenário, o Panamá supera as metas internacionais de proteção marinha ao proteger impressionantes 50% de sua área marinha total. Essa conquista vai além da meta 30×30 estabelecida pela 15ª Conferência da ONU sobre Diversidade Biológica, demonstrando o compromisso do país com a preservação dos oceanos. Em fevereiro de 2024, o Parque Nacional Coiba recebeu o prestigiado status Blue Spark do The Marine Conservation Institute, um reconhecimento aos esforços excepcionais na preservação dos ecossistemas marinhos intocados do parque.

Segundo Fernando Fondevilla, CEO do Promtur, órgão que promove o turismo no Panamá, o patrimônio azul do país engloba tesouros marinhos e ecossistemas costeiros.. “Incentivamos os viajantes a descobrir a beleza de tirar o fôlego do mundo subaquático do Panamá por meio de snorkeling, mergulho e passeios de barco. Ao promover o património azul, pretendemos sensibilizar para a importância da conservação marinha e da utilização sustentável dos recursos costeiros”, diz ele.

Fondevilla completa: “Visamos, especificamente, receber viajantes exigentes para tornar o turismo sustentável uma realidade. Esses indivíduos compartilham valores e comportamentos que se alinham com nossas metas sustentáveis. Ao convidá-los a visitar o Panamá, oferecemos uma oportunidade de desfrutar consciente e responsável dos extraordinários recursos do destino, difíceis de replicar em outros lugares”, diz.

Iniciativas inovadoras para um futuro sustentável

Além disso, o Panamá implementa ativamente diversas iniciativas de sustentabilidade para proteger o meio ambiente marinho. Entre elas, o sistema de gestão de resíduos Wanda Diaz combina inteligência artificial e energia limpa para remover detritos sólidos das águas panamenhas.

Já o Pacto Azul tem como alvo as comunidades costeiras do Pacífico e caribenhas. O projeto foi desenvolvido pela Fundação Panamenha de Turismo Sustentável (APTSO) para proteger os recursos marinhos costeiros, ao mesmo tempo que implementa benefícios geracionais para os habitantes locais. A nova iniciativa  está atualmente em financiamento e representa uma medida amparada por regulamentos e apoiada em seis comunidades indígenas que fazem fronteira com áreas marinhas protegidas – tudo com o objectivo de educar e desenvolver ainda mais capacidades de turismo regenerativo às quais estes grupos não tinham acesso. O pacto garantirá benefícios econômicos a cada uma das comunidades indígenas participantes e permitirá oportunidades adicionais aos viajantes que procuram experiências transformadoras para o fazerem sem impacto ambiental.

Experiências oceânicas inigualáveis

Além de se consolidar como referência na preservação ambiental, o Panamá também oferece diversos outros atrativos para os viajantes. Confira os principais a seguir:

  • Geografia única: Com 2.897 km de costa, o Panamá permite aos viajantes explorar oceanos com altíssima biodiversidade, inclusive o Mar do Caribe e o Oceano Pacífico no mesmo dia.

  • Biodiversidade rica: Dos manguezais exuberantes do Golfo de Chiriquí aos recifes de coral vibrantes do Parque Nacional Coiba, o Panamá oferece um refúgio natural para aventureiros que desejam explorar uma região repleta de vida marinha.

  • Patrimônio mundial da UNESCO: O Parque Nacional Coiba, Patrimônio Mundial da UNESCO, é um destino de mergulho de classe mundial, com 760 espécies de peixes marinhos, 33 espécies de tubarões e 20 espécies de cetáceos. O parque também abriga uma das 12 Estações do Instituto Smithsonian de Pesquisa Tropical no Panamá.

  • Conservação em ação: Arquipélago de Bocas del Toro é um exemplo notável dos esforços contínuos de restauração de recifes de coral, demonstrando a dedicação do Panamá em preservar suas maravilhas marinhas para as futuras gerações.

  • O primeiro parque marinho do Panamá, Parque Nacional Marino de Bastimento, abriga os recifes de coral mais bem conservados da costa caribenha, tornando-se um excelente destino para mergulho e snorkeling. Aqui, os esforços de conservação se concentram nas tartarugas marinhas hawksbill e couro, onde o povo indígena Ngäbe-Buglé da ilha desempenha um papel fundamental no monitoramento dos locais de nidificação do parque.

Destino ideal para viajantes conscientes

Um playground vibrante para os viajantes que procuram reacender o espírito de descoberta e aventura, a estratégia de turismo sustentável do Panamá foi destaque na Cúpula Mundial do Futuro do Turismo da Organização Mundial de Turismo das Nações Unidas (OMT) e identificada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como uma visão inovadora de turismo sustentável para o futuro.

Parte dessa estratégia é a rede de turismo comunitário do Panamá – SOSTUR – uma plataforma digital para comunidades rurais compartilharem sua visão e apoiarem a implementação do turismo regenerativo. Os viajantes podem selecionar passeios em várias comunidades piloto com experiências ancoradas na rica cultura e biodiversidade do Panamá. Desde passeios em fazendas focados em agroturismo e caminhadas nos extensos parques nacionais do destino, até observação de pássaros e conservação de tartarugas, SOSTUR conecta viajantes a experiências imersivas que apoiam comunidades locais, capacitando mulheres e jovens a participar ativamente da indústria do turismo com o apoio da Fundação Panamenha para Turismo Sustentável (APTSO).

Com todas essas iniciativas, o Panamá é o destino ideal para quem busca experiências autênticas e responsáveis, combinando aventura, belezas naturais e um compromisso genuíno com a preservação ambiental — uma combinação que, certamente, irá gerar memórias inesquecíveis a qualquer viajante.

Compartilhe este artigo
Segue:
A Conecta é a sua agência de Comunicação e Marketing. Há 10 anos no mercado, atendemos clientes em todo o Rio de Janeiro ao trabalharmos na Assessoria de Imprensa, Comunicação Empresarial, campanhas de marketing e gerenciamento das redes sociais.