Selecionado para integrar a programação do1º Festival de Cinema de São Bernardo do Campo “Meu Outro nome é Luiza”, curta-metragem de Ana Luísa Hartmann

Filme recebeu menção honrosa no Swiff (Student World Impact Film Festival)
A estreia internacional foi no Festival de Cinema Independente de Praga e está sendo exibido em vários festivais

“Visualmente impressionante e envolvente”
“Artisticamente único e criativo”
“Mensagem incrivelmente impactante”
Menção honrosa do júri do Swiff

- Publicidade -

“Meu Outro Nome é Luiza” é um curta metragem híbrido ficção-documentário com duração aproximada de vinte e nove minutos, com direção de Ana Luísa Hartmann e atuação de Luiza Parisi e Ana Luísa Hartmann. O filme foi realizado em mutirão durante a pandemia e é resultado do Projeto de Conclusão de Curso (TCC) de Ana Luísa Hartmann Hilgert, Enrico Alchimim, Bru Fotin e das alunas Marina Ruiz e Ana Stella na graduação de Comunicação Social com Habilitação em Cinema da Faculdade Armando Álvares Penteado, São Paulo (FAAP).
Neste documentário híbrido, as fronteiras da ficção e do documentário se fundem no momento em que uma entrevista se torna um processo de preparação de personagem. Luiza, a entrevistada, e Ana, a diretora, travam uma relação de pesquisa que culminará na troca de papeis entre as duas através de ensaios, improvisos e mútua investigação.
“Meu Outro Nome é Luiza” propõe uma investigação de trabalho de ator, no que tange a preparação para a incorporação de uma personagem. Entretanto, diferentemente do que seria feito num processo de ensaio para um espetáculo teatral ou para um filme – que em geral têm como base um roteiro – propõe-se a ultilização de improvisos em torno do material pessoal e imaginativo de uma pessoa real.

O projeto foi aprovado por uma banca de professores por meio do processo seletivo de pitching em Março de 2020 e tem a intenção de investigar a linha nebulosa entre vida e arte, ficção e documentário, performatividade cotidiana e a performance artística.

Informações do filme (Movie Information)
Duração
(lenght) Exibição
(Exhibition) Bitola
(filmed) Cor
(Color) Ano
(Year) Tipo
(type) Gênero
(genre)
30’ 1:1.85 Digital Color. 2022 Curta
Short Documentário
Documentary
 
Sinopse (Synopsis)
Ana Luiza Parisi é atriz e performer e resiste para sobreviver no Brasil fazendo bicos de diarista e palhaça de trânsito. Ela é entrevistada por Ana Luísa Hartmann, diretora e atriz, que, encantada por sua presença, deseja incorporá-la como personagem. Para tanto, Hartmann propõe jogos de cena que desfazem a persona social de Luiza, revelando uma qualidade trágica que modifica a trajetória de ambas.
In this hybrid documentary, we see the boundaries of fiction and documentary merge as an interview becomes a character preparation process. Luiza, the interviewee, and Ana, the director, start a research relationship that will culminate in a mutual investigation.
 
Ficha Técnica (Cast and Crew)
Direção (Director) Ana Luísa Hartmann
Roteiro (Screenplay) Ana Luísa Hartmann
Produção Executiva (Executive Production) Ana Luísa Hartmann e Lucas Lobo
Assistente de Direção (Assistant Director) Enrico Alchimim
Fotografia (Cinematography) Bru Fotin
Montagem (Editing) Bru Fotin
Som (Sound) Ana Stela
Arte (Art Direction) Mariana Ruiz
Preparador de Elenco (Cast Preparation) Larissa Murai
Elenco (Cast) Luiza Parisi

Inspirado no tradicional Festival de Cinema de Gramado (RS), São Bernardo do Campo (SP) de forma inédita realiza o “1º Festival de Cinema de São Bernardo do Campo” em memória aos legados artístico, técnico e cultural da Cia. Cinematográfica Vera Cruz considerada a “Hollywood Brasileira” (1949-1954). Atualmente o conjunto de Estúdios e Pavilhões é patrimônio cultural tombado da cidade. São Bernardo é um solo inspirador, terra intitulada pelo slogan da Cia. Vera Cruz na época como “planalto abençoado”. Terra que produziu e distribuiu dezenas de filmes que circularam o mundo todo e galgaram prêmios nos principais Festivais de Cinema do mundo; além de revelar talentos como o ator MAZZAROPI e, com destaque, a atriz RUTH DE SOUZA como a primeira artista brasileira indicada ao prêmio de melhor atriz em um festival internacional de cinema. Filmes como “Sinhá Moça” e “O Cangaceiro” receberam prêmios importantes da crítica internacional e projetaram os estúdios e o Cinema Brasileiro em amplitude mundial

Serviço:
O 1º Festival de Cinema de São Bernardo do Campo acontece de 28/11 até 02/12 no Cenforpe ( (Av. Dom Jaime de Barros Câmara, 201 – Planalto – Saída 20A da Rodovia Anchieta – São Bernardo do Campo – SP).
O evento acontece em memória aos legados artístico, técnico e cultural da Cia. Cinematográfica Vera Cruz, considerada a “Hollywood Brasileira” (1949-1954) que recebeu um total de 1.089 filmes. O idealizador do festival é o artista Rudy Serrati, natural da cidade.
A seleção de filmes prestigia a produção nacional e oferece visibilidade para obras da região do Grande ABC.
A entrada é solidária: 2kg de alimento não perecível e o ingresso tem que ser reservado pelo site Sympla.

- Publicidade -

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *