A importância da imunidade no verão

De Peterson Carvalho - Editor

No verão, muitas vezes entramos em ambientes altamente refrigerados e quando saímos na rua sentimos aquele baque na temperatura e isso pode afetar de alguma forma, o bom funcionamento do nosso organismo. Mas algumas ações simples podem impedir que o corpo sinta as mudanças bruscas de temperatura.

Devido a mecanismos de circulação em vasos periféricos e centrais, a pressão sanguínea tende a cair quando a pessoa sai de um ambiente frio para o quente. Nesse caso, pessoas que já tem hipotensão podem ter a condição acentuada e sentir sintomas como mal estar e vertigem.

- Publicidade -

Mas algumas ações simples podem impedir que o corpo sinta as mudanças bruscas de temperatura. Sempre ter uma garrafa de água para manter a hidratação e usar roupas leves e claras. Hidratar os olhos e o nariz com soro fisiológico e na saída de um local quente para um lugar frio, a pessoa deve fazer uma transição gradual entre esses ambientes. Também é importante não ingerir alimentos muito gordurosos e procurar consumir mais frutas, verduras e legumes que melhoram a homeostase (que é o equilíbrio do ambiente interno corporal, independentemente das alterações do ambiente externo).

A alimentação é uma grande aliada para que o organismo fique mais forte. As frutas possuem compostos bioativos que melhoram a saúde metabólica através de mecanismos diversos, como efeitos antiinflamatórios e antioxidantes. Certas frutas como o morango e o mirtilo, podem promover benefícios cardiometabólicos devido ao seu conteúdo de flavonóides, como as antocianinas e ácidos fenólicos. Esses compostos bioativos têm sido associados a efeitos protetores contra diversas doenças crônicas, como as cardiovasculares.

A boa alimentação pode preparar o corpo também para uma resposta melhor a infecções. Um aporte adequado de vitaminas e minerais pode melhorar a resposta imunológica do corpo.
Já a atividade física tem um papel importante na função do sistema imunológico. Estudos mostram que exercícios de intensidade moderada podem estimular a eficiência do sistema imunológico. Os exercícios proporcionam maior resistência a infecções, diminuição do estresse, melhora do sistema cardiorrespiratório e do humor.

Além dos exercícios físicos, ter uma alimentação saudável pode melhorar a imunidade. A relação alimentação x sistema imunológico é extremamente complexa e recebe o nome de imunometabolismo. Para isso é essencial ter uma dieta equilibrada fornecendo quantidades adequadas de carboidratos, proteínas e gorduras além de micronutrientes. E os extremos de dieta – desnutrição ou obesidade – estão diretamente relacionados a alterações da imunidade.


Ana Paula Cony é nutricionista da Clinica Neurovida.

- Publicidade -
Compartilhe este artigo
Segue:
Web designer e entusiasta da internet desde 1998, apaixonado por criar soluções inovadoras e eficientes para a web.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *