Dos 10 milhões de surdos brasileiros, 32% não têm grau de instrução e 63% estão fora do mercado de trabalho

A população de surdos no Brasil, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) em 10 milhões de pessoas, ainda enfrenta grandes desafios de inclusão. Estudo do Instituto Locomotiva mostra que 32% dos surdos do país não têm nenhum grau de instrução e apenas 37% deles estão inseridos no mercado de trabalho. De acordo com a pesquisa, 7% dos surdos brasileiros concluíram o ensino superior, 15% contam com ensino médio, 46% frequentaram o ensino fundamental e a grande maioria, 63%, não têm ocupação profissional.

Alguns passos estão sendo dados para promover maior inclusão dessa população no ensino e no trabalho. Projeto em tramitação na Câmara dos Deputados altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) para incorporar Libras nos currículos da educação básica.

- Publicidade -

Em 2021, a Educação Bilíngue de Surdos deixou de ser parte da educação especial e foi incluída na LDB como modalidade de ensino independente. Com isso, a educação bilíngue passa a ter a língua brasileira de sinais (Libras) como primeira língua para os estudantes surdos e o português escrito como segunda.

Escola Lumiar Pinheiros está desenvolvendo uma série de iniciativas em Libras para envolver os estudantes na educação inclusiva e no aprendizado da linguagem. Eles estão conduzindo este ano três diferentes projetos, um dicionário virtual em Libras para divulgar brincadeiras regionais, uma peça de teatro bilíngue e uma entrevista com atletas surdas do time de futebol do São Paulo. No ano passado, estudantes da Lumiar criaram um vídeo institucional para apresentar toda a estrutura da escola em Libras. As crianças contam com apoio dos tutores da escola e da mestre de artes e Libras Sylvia Sato.

“A Lumiar se interessa ativamente pelas pautas de diversidade e inclusão, buscando ampliar repertórios, incluir todo o tipo de estudantes e educadores na escola, e sempre pautar essas discussões. A orientação educacional da escola cuida para que consigamos lidar com as inclusões da melhor maneira possível, elaborando planos educacionais individuais (PEIs)”, afirma a tutora Fernanda Gasparini. Segundo ela, a Lumiar conta com estudantes com deficiência física e intelectual, assim como educadores.

No ano passado, a Lumiar desenvolveu um projeto de Libras para criar um novo vídeo institucional da escola, mais inclusivo. Crianças de 8 a 10 anos realizaram o projeto, junto com a tutora Camila Novaes. “O vídeo se tornou uma ferramenta para nossa escola. Pais e crianças puderam conferir o resultado no projeto logo na recepção da Lumiar Pinheiros, onde ele é exibido. Isso foi muito bacana. Criamos um projeto dentro da nossa metodologia de fazer algo que vai contribuir para a comunidade. A escola ficou mais acessível”, comenta Camila.

Segundo Camila, a turma criou o roteiro em português para apresentar toda a estrutura da escola em linguagens de sinais. Na sequência, as próprias crianças adaptaram o roteiro para Libras. A captação das imagens também foi feita pelos estudantes, que ajudaram a editar o vídeo, escolheram trilha sonora, definiram todas as passagens, efeitos especiais e modelo da legenda em português. “Tivemos uma mostra de projetos no final do ano e já colocamos o vídeo em Libras na recepção da escola, para mostrar a unidade para pais, estudantes e visitantes”, comenta Camila.

- Publicidade -

 

Sobre a Escola Lumiar

Fundada em 2003, a escola Lumiar surgiu como uma iniciativa de educadores de vanguarda para transformar a educação. Através de uma metodologia que prioriza a autonomia e a individualidade de cada estudante, o aprendizado se fundamenta em seis pilares: tutores e mestres; currículo em Mosaico; aprendizagem ativa; avaliação integrada; possibilidade de multietariedade e gestão participativa.

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *