Pescadores de Magé retomam as atividades em campo

Na manhã desta segunda-feira, os pescadores da colônia Z-9 em Magé, retomaram seus trabalhos de campo, incluindo a limpeza dos manguezais, das encostas e a retirada de resíduos sólidos.

Quarenta e quatro barcos, 88 pescadores, 4 apoios (Pescadoras) e 7 bolsistas, que fazem Parte do “Projeto Águas da Guanabara”, são responsáveis pela limpeza dos rios: Roncador, Canal de Magé, Piedade, Rio Iriri, Suruí, São Francisco, Olaria, Anil, Ipiranga e Parque Municipal Barão de Mauá.

- Publicidade -

O projeto Águas da Guanabara foi desenvolvido na Baía de Guanabara, no estado do Rio de Janeiro e visa, qualificar e quantificar os resíduos sólidos e os impactos que eles possuem sobre a fauna e a flora da Baía, através de novos olhares sobre esses problemas.

Foto: Divulgação

“É gratificante ver os pescadores de Magé retomando suas atividades em campo, especialmente dentro do contexto do Projeto Águas da Guanabara. Essa iniciativa é crucial para qualificar e quantificar os resíduos sólidos que afetam nossa fauna e flora, demonstrando novos olhares sobre esses problemas”, destacou o presidente da FEPERJ, Luís Cláudio.

O trabalho desenvolvido pelos pescadores de Magé desempenha um papel fundamental na preservação do meio ambiente local. A limpeza dos manguezais, encostas e a retirada de resíduos sólidos contribuem significativamente para a saúde dos ecossistemas aquáticos e terrestres da região. Além disso, ao participarem do Projeto Águas da Guanabara, esses pescadores estão promovendo a conscientização sobre os impactos negativos da poluição nos rios e na vida marinha, incentivando ações de conservação e sustentabilidade por toda a comunidade.

Compartilhe este artigo
Segue:
Jornalista desde os 16 anos. Passei 18 anos em tv como repórter e atualmente estou em assessoria de imprensa.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *