Anderson Brasil leva “Um Atlântico, Um Recôncavo” para a Casa Rosa

O cantor, compositor e instrumentista Anderson Brasil sobe ao palco da Casa Rosa, no Rio Vermelho,  no dia 31 de maio, às 20h, com seu show  “Um Atlântico, Um Recôncavo”, onde apresenta 12 canções autorais, criadas a partir de suas pesquisas na região Norte do Brasil. O espetáculo também fará um passeio por algumas de suas canções de Anderson Brasil que foram interpretadas por nomes importantes da música brasileira como Guinga, Fabiana Cozza, Vanessa Moreno, Josyara, Ilessi  e Tiganá Santana. Os ingressos custam R$50,00/ R$ 25,00 e podem ser comprados no link https://bileto.sympla.com.br/event/94063?share_id=1-whatsapp.

As canções buscam alargar a compreensão acerca das múltiplas musicalidades que nascem a partir da chegada de diferentes povos à costa baiana, trazem a figura da mulher nordestina,  elementos do cotidiano de moradores de comunidades tradicionais, fazendo referências a autores como Guimarães Rosa e Castro Alves. “Por meio de uma descrição pedagógica e política, somos impulsionados a rever e conhecer nossa ancestralidade, passeando por diferentes formas de ser e de estar, pincelando a tamboralidade e orixalidade brasileira”, conta o artista.

- Publicidade -

Morando por mais de cinco anos no estado do Tocantins, Anderson Brasil ensinou música em algumas comunidades, a exemplo do quilombo Mumbuca, um povoado localizado no município de Mateiros – TO, composto em sua maioria por descendentes de pessoas escravizadas que saíram da Bahia no início do Século XX. Organizou encontros entre cantores dos povos Krahô, Karajá, Xerente e os Apinayé, nascendo destas vivências, por exemplo, a canção intitulada: “Xingu-Tocantins”.

Suas canções são atravessadas também por temáticas presentes em dois de seus livros: “Batucando Aqui, Trabalhando Ali” e “Música e Periferia”, os quais denunciam a violência e a folclorização de saberes que alcançam os negros brasileiros, valendo-se de concepções instrumentais e literárias inéditas, visceralmente brasileiras. As obras se desenrolam por meio da investigação sonora dos elementos marcantes da região Norte em paralelo ao Nordeste brasileiro.

“Por meio de um diálogo de uma percussão afro-brasileira, com um violão que bebe na escola de violão de Minas Gerais, ecoam orquestrações sui generis, um violão pincelado por influências que perpassam Dori Caymmi, Ivan Lins e Sérgio Santos. Emergem neste encontro da voz e o violão com uma percussão ancestral canções visceralmente brasileiras, as quais nos permitem revisitar o tráfico negreiro, os bois de Parintins, a culinária ancestral brasileira, o saci e os ibejis, a floresta amazônica e o cerrado tocantinense, atravessando toda esta tessitura literomusical, o Recôncavo Baiano, o lugar onde nasceu o Brasil”, descreve Anderson.

O show que amalgama todos esses elementos tem uma percussão concebida por Anderson e os percussionistas que o acompanham, Caroline Mota e Cleber Costa. Juntos eles se se valem de elementos sustentáveis, como sucatas, conchas de crustáceos, panelas, potes de barro, pedaços de ferro, sobras de mangueiras, entre outros itens alternativos, trazendo ao palco um mosaico de cores e de sonoridades ímpares.

Serviço:

- Publicidade -

Show “Um Atlântico, Um Recôncavo” – Com Anderson Brasil

Quando: Sexta-feira, 31 de maio, às às 20h

Onde: Casa Rosa – Praça Colombo – Rio Vermelho

Quanto: R$50,00/ R$ 25,00 comprados no link – https://bileto.sympla.com.br/event/94063?share_id=1-whatsapp

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *