Busca de baianos por procedimentos com colágeno e botox vai além da estética; Dra. Anuska Lima explica benefícios para a saúde

Harmonizações faciais podem dar suportes para a qualidade de vida: adeus à enxaqueca e muito mais

Fátima Bernardes, Grazi Massafera e Malvino Salvador são apenas algumas das celebridades que já utilizaram o famoso botox para os cuidados estéticos. Mas o caso da baiana Maria Cecília Santos, 28, por exemplo, foi bem diferente. A enxaqueca sempre foi um problema recorrente na vida do jovem, e somente após usar a toxina botulínica (botox®) foi que ela começou a sentir um alívio real.

A Dra. Anuska Lima (@anuskalima), atuante em Salvador (Bahia) e especialista em harmonização facial e em utilização de colágeno e toxina botulínica, explica que os procedimentos estéticos têm ganhado popularidade não apenas pelos fatores visuais, mas também por questões como a de Cecília. “Além dos benefícios estéticos, a toxina botulínica também é utilizada para minimizar sintomas de bruxismo, por exemplo. Por isso, tantos dentistas utilizam”, explica Anuska, que é também formada há 10 anos como cirurgiã-dentista, além de ser especializada em endodontia e ortodontia.

Graças a essas opções, 30% dos pacientes da Dra. Anuska, em Salvador, vão hoje em busca de melhorias na saúde e qualidade de vida, e não buscam apenas as melhorias na aparência. “Os meus pacientes sabem que faço, inclusive, um estilo de harmonização orofacial, que exalta a beleza natural, sem parecer que o paciente realizou procedimentos”, exclama a profissional.

Colágeno: solução para melhora na qualidade da pele:
O colágeno também não fica de fora das opções para melhorias na qualidade de vida. Trata-se de uma proteína essencial encontrada em tecidos como pele, cabelos, unhas e articulações. Com o tempo, a produção natural de colágeno no corpo diminui, levando a rugas, flacidez da pele e outros sinais de envelhecimento. Os procedimentos que envolvem o colágeno, como preenchimentos dérmicos, têm sido utilizados para restaurar a elasticidade e a vitalidade da pele, o que reduz, por exemplo, a sensação de derretimento dos tecidos e outras condições dermatológicas, como reforça a Dra. Anuska.

Brasil é terceiro país que mais investe em estética:
Por conta de tamanhos benefícios para a medicina, o Brasil tem se destacado como o terceiro maior investidor mundial em procedimentos estéticos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e China. Segundo dados da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), o mercado de beleza no Brasil movimentou impressionantes R$47,5 bilhões em 2020.

De acordo com um relatório da ISAPS (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética), o ano de 2020 testemunhou a realização de mais de 13.000 cirurgias plásticas estéticas. Este levantamento também aponta para uma mudança no perfil dos pacientes, que estão cada vez mais inclinados a buscar intervenções menos invasivas.

Entre 2016 e 2020, o número de procedimentos injetáveis cresceu expressivos 24,1% no país. Além disso, o mercado global de medicina estética segue com uma taxa de crescimento de 14,5% desde 2022. As cirurgias plásticas e os procedimentos estéticos, em especial, os não invasivos, que já representaram 50% de todos os procedimentos realizados. No Nordeste, o crescimento da harmonização facial está em 50% em 2023.

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário