Gastroenterite: doença que causa diarreia e mal-estar após banho em praias impróprias

O banho de mar é refrescante no verão, mas é necessário tomar cuidados com possíveis infecções

Com a chegada do verão, a procura por praias para escapar do calor torna-se irresistível. No entanto, a diversão pode vir acompanhada de riscos, principalmente quando se trata da gastroenterite, doença causada por agentes infecciosos transmitidos por meio da água contaminada e que afeta a mucosa responsável por revestir o tubo digestivo. Com isso, o banho de mar precisa ser realizado com cautela e em locais seguros para evitar a enfermidade.

O Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) estabelece quatro categorias para águas salgadas, sendo elas excelente, muito boa, satisfatória e imprópria. Em locais inadequados, o risco de contrair gastroenterite aumenta, sendo essencial se atentar à qualidade da água indicada pelos órgãos oficiais.

- Publicidade -

“A gastroenterite é causada por vírus, bactérias e parasitas e ocorre após um hospedeiro entrar em contato com um agente infectante presente na água. Isso acaba ocasionando uma infecção gastrointestinal, desequilibrando a flora e gerando sintomas de adoecimento”, explica Dr. Fagner Dayan, docente dos cursos de Farmácia e Biomedicina do UNINASSAU – Centro Universitário Mauricio de Nassau João Pessoa.

“As crianças são mais suscetíveis a esse tipo de infecção devido à falta de atenção durante as brincadeiras no mar. É comum que elas façam a ingestão da água contaminada sem querer, pois não têm o cuidado de evitar o contato oral”, adiciona.

De acordo com Dr. Fagner, o processo de cura, em alguns casos, vai exigir análise clínica e uso de medicamentos. “Na ocorrência de tratamento, a pessoa acometida precisa de repouso e hidratação, bem como alimentação balanceada”, comenta o docente da UNINASSAU João Pessoa. Os principais sintomas da gastroenterite são diarreia, dores de barriga e cabeça, náuseas, vômitos e perda do apetite.

Nos lugares classificados como impróprios, os banhistas precisam ter o cuidado redobrado, principalmente com a qualificação de balneabilidade das praias. Já ao frequentar locais com a classificação excelente ou muito bom, as pessoas não apenas mantêm seu bem-estar, mas também evitam a gastroenterite.

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *