Segundo semestre de 2023 mostra a recuperação nos deals no cenário de startups no Brasil

O ano de 2024, porém, deve intensificar o número de fusões e aquisições entre as startups brasileiras, com destaque contínuo em fintechs

O ano de 2023 se mostrou desafiador para o cenário de startups no Brasil. O colapso do SoftBank em março do ano passado, tensões geopolíticas internacionais e as incertezas em relação às conversas sobre a reforma tributária no país, fizeram com que as transações de M&A e investimentos entre startups sofressem uma queda no primeiro semestre de 2023.

“Porém, as previsões que trouxemos do Startup M&A Deals Report 2023 H1 foram confirmadas e, mesmo que o cenário do ano de 2023 de M&A’s no Brasil tenha terminado 15% menor em números de transações na comparação com 2022 (PwC), o segundo semestre mostrou uma recuperação tanto na quantidade quanto no volume dos deals”, diz Rafael Assunção, founder e managing partner da Questum.

A segunda edição do Startup M&A Deals Report H2 2023 destaca essa recuperação e traz mais dados que complementam a análise do semestre e as perspectivas para 2024. As fintechs e retailtechs lideraram como os tipos de startups  mais adquiridas (com 13% e 10%, respectivamente) em 2023; e o avanço nos investimentos e transações de M&A em healthtechs e agtechs também merecem destaque. No que diz respeito aos buyers, segundo o estudo da Deloitte, para 66% das empresas adquirentes, o ano de 2024 será motivado por negócios complementares; enquanto 62% acreditam que vão expandir suas aquisições em novos mercados.

A Sankhya Gestão de Negócios, uma das maiores empresas provedoras de soluções integradas de gestão corporativa e um dos maiores compradores (buy-side) do Brasil, por exemplo, realizou sua quinta aquisição em 2023 com a compra da Mindsight. Em depoimento exclusivo para o report, Diego Sánchez, Head de M&A da Sankhya, destaca que essa transação reforça o compromisso de posicionamento em uma das verticais de potencial para a empresa: HCM (Gerenciamento de Capital Humano, em inglês). “O deal nos permitiu ofertar uma jornada muito fluida entre as soluções, proporcionando mais governança e assertividade na gestão de recursos humanos de nossos clientes”, diz.

Para 2024 a tendência é de continuidade do crescimento. A consultoria PwC afirma que as transações de M&A devem ser intensificadas, com ligação direta ao cenário macroeconômico. “Outros fatores colaboram com com previsões otimistas, como a elevação da nota da dívida soberana do Brasil, que passou de BB- para BB, segundo a agência de classificação de risco Standard & Poor´s (S&P); e a perspectiva de redução de juros no Brasil e em outros países. Assim, a Questum acredita na tendência de retomada de investimentos e M&As para 2024 com aquisições na faixa entre R$20 e 200 milhões”,  finaliza Assunção.

Sobre a Questum M&A

A Questum M&A e Investimentos em Startups é especializada em apoiar founders na jornada de M&A de suas empresas de tecnologia atuando na estruturação das operações, elaboração da estratégia de negócios e governança corporativa, visando ajudá-los a alcançar o melhor valuation para venda. Realiza também investimentos early stage e  tem por foco startups que operem modelos de negócios B2B, estruturadas como software as a service (SaaS), serviços sustentados por tecnologia (tech enabled services), inteligência artificial e blockchain, nos mais diversos setores econômicos. A Questum já assessorou operações de startups como PagueVeloz (vendida para Serasa Experian), Lett (para Neogrid), Ipê Digital, Effecti e Mercos (para Nuvini),  Mercadapp (para Linx),  Zipper e Becon (para CRM&BONUS).

Compartilhe este artigo
Segue:
A ImprensaBr é um portal de notícias que fornece cobertura completa dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo.
Deixe um comentário