Gabrielas: Prostituição, Desejos e Resistência – Roda de Conversa no Sesc Avenida Paulista

Como atividade complementar do espetáculo Gabri[Elas], que está em cartaz no Sesc Avenida Paulista, a roda de conversa ‘Gabrielas: Prostituição, Desejos e Resistência’ acontece no dia 27 de janeiro com Lourdes Barreto, Betânia Santos e mediação de Elaine Bortolanza. Também participam da conversa a atriz Fernanda Viacava e a diretora Malú Bazan.

As vagas são limitadas e gratuitas e a retirada de ingressos acontece 1h antes na própria sede.

- Publicidade -

Esta roda de conversa abordará a prostituição na perspectiva do desejo e da luta pela liberdade sexual de todas as mulheres, legado histórico das fundadoras do movimento organizado das mulheres prostitutas no Brasil, Gabriela Leite e Lourdes Barreto. O feminismo abordado por prostitutas é recente e pouco visível. A prostituta sempre foi e ainda é objeto de representação nas artes, geralmente de um ponto de vista estereotipado, vitimizador ou romantizado. Tornar visível e público a memória viva e o legado desse movimento, que tem mais três décadas de luta, é uma maneira de compartilhar, sobretudo para/com as mulheres, um encontro consigo mesmas, valorizando a importância de seus desejos, narrativas e lutas, como autoras e protagonistas de suas próprias histórias.

Nesta conversa teremos a participação da companheira de Gabriela e uma das precursoras do movimento brasileiro de prostitutas, Lourdes Barreto, que tem como marco o I Encontro Nacional de Prostitutas “Mulher da vida, é preciso falar” realizado em 1987 no Rio de Janeiro, e de Betania Santos, coordenadora da Associação Mulheres Guerreiras de Campinas/SP. Também participará da conversa a atriz Fernanda Viacava e a diretora Malú Bazan com mediação de Elaine Bortolanza.

Lourdes Barreto é natural da Paraíba, mas mora em Belém há mais de 60 anos. Fundadora da Rede Brasileira de Prostitutas com Gabriela Leite, movimento que tem como marco o I Encontro Nacional de Prostitutas Mulher da vida, é preciso falar, realizado no Rio de Janeiro em 1987. Em 1990, criou o Grupo de Mulheres Prostitutas do Estado do Pará – GEMPAC, que ocupa uma esquina do histórico Bairro da Campina de Belém. Está entre as 100 pessoas que iniciou o programa de Aids no Brasil e é uma das militantes que participou da construção do SUS. Fez 80 anos no dia 22 de janeiro com samba enredo em sua homenagem e em fevereiro lançou, no Theatro da Paz, sua Puta Autobiografia. Eu sou Puta e Vagina tem poder tatuado no seu braço esquerdo são enunciados da sua história escrita no corpo.

Betânia Santos é prostituta e ativista, presidenta da Associação Mulheres Guerreiras – Profissionais do Sexo Unidas pelo Respeito (Campinas-SP). Desde 2008, após conhecer Gabriela em um encontro na Unicamp, integra a Rede Brasileira de Prostitutas e desde 2013 o Coletivo Davida. A Associação Mulheres Guerreiras iniciou suas atividades em Campinas no ano de 2004 e foi formalizada em 2007. Atualmente é o principal espaço de articulação das profissionais do sexo na cidade na luta por direitos das mulheres prostitutas e contra a violência.

Elaine Bortolanza é psicóloga, pesquisadora, curadora e produtora cultural. Há 20 anos vem atuando na fronteira entre clínica, cultura e arte, com foco nas questões de gênero, sexualidade, prostituição e memória. É doutora em Psicologia Clínica/Núcleo de Estudos da Subjetividade da PUC/SP e em 2023 iniciou a pesquisa de Pós-Doutorado sobre memória e experiência Daspu na fronteira entre arte e política. Há 20 anos atua como ativista dos direitos das mulheres prostitutas junto à Rede Brasileira de Prostitutas e Davida. Durante quase uma década coordenou a Daspu, passarela de luta criada em 2005 pela Gabriela para dialogar com a sociedade os estigmas relacionados às prostitutas. É curadora e organizadora da Puta Autobiografia de Lourdes Barreto, 2a edição da Editora Claraboia publicada em junho de 2023.

- Publicidade -

Serviço
Gabrielas: Prostituição, Desejos e Resistência – Roda de Conversa
https://www.sescsp.org.br/programacao/gabrielas-desejos-narrativas-e-lutas/

27 de janeiro, sábado, às 18h

Sesc Avenida Paulista – Av. Paulista, 119, Bela Vista
Ingressos: Grátis. Retirada 1h antes na unidade

Duração: 120 minutos

Compartilhe este artigo
Segue:
Editora e criadora da Rede Brasileira de Notícias. Fazendo também parte da redação do Imprensabr. Sempre com comprometimento com a imparcialidade na informação.
Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *